Revista Alternativa

Vereador Petrônio Lima não “Tira Chapéu” para colegas da Câmara Municipal, e também para a presidente da APLB.

Em off, Petrônio disse: “Não” Amasso Barro para Faraó”, e nunca vou amassar, não recebo nada além do meu salário na Câmara Municipal, e nem de terceiros. Se o prefeito Colbert Martins Filho quiser me receber para assuntos em prol do povo da minha cidade, irei com toda satisfação para cumprir o meu dever, se ele não me receber vou continuar na espera me movimentando para que as coisas aconteçam, esse é o meu papel como representante do povo.

No último domingo, 20 de agosto, o vereador Petrônio Lima participou do programa “Pra Quem Você Tira Chapéu”, apresentado por Silvério Silva na Rádio Sociedade News. Seu mandato vem sendo elogiado por alguns membros da imprensa e pelo povo nas ruas por ser o vereador que mais vem se destacando na Casa da Cidadania.

Petrônio, que já levou “bicuda na canela”, dedo na cara e xingamentos durante algumas sessões por colegas, mostrou-se tranquilo durante o programa, em alguns momentos parcial, em outros imparciais, sem fazer política, ou mesmo politicagem, foi direto quando não tirou o chapéu para a presidente da Câmara Municipal, Eremita Mota, para o também colega Fernando Torres e a representante da APLB Marlede Oliveira.

Petrônio demonstrou, para quem assistiu ao programa, sua indignação contra a atual presidente Eremita, um ranço contra o ex-presidente Fernando Torres e um desdém pela postura da presidente Marlede Oliveira do sindicato dos professores.

Seguem alguns trechos da passagem pelo programa:

EREMITA MOTA
“Ela vem fazendo o que o ex-presidente Fernando Torres fez, formou um grupo, beneficia uns e deixa outros a ver navios. Esperava que ela fosse justa com todos. Assim como ela começou fazendo história como a primeira presidente, também faço parte dessa história. Votei nela e não me arrependo.”

FERNANDO TORRES
“Fernando quando estava presidente, governou para o grupo que o seguia e prejudicou quem esteve de fora, assim como, assessores, servidores entre outros que não esteve nesse pacote, sofreram muito, não fui prejudicado porque só tenho na Casa da Cidadania meu salário e o dever para com o povo de Feira de Santana.”

MARLEDE OLIVEIRA
“A professora Marlede, de uma certa forma, faz política, sim, o que não condiz com a postura de um sindicato sério, porque ela ataca veementemente o governo Municipal, sem criticar também o governo estadual, que é sabido por todos, que ao longe desses anos tem negligenciado à rede de ensino em Feira.

Durante o programa, o edil deixou claro seu posicionamento, ele acredita que um representante do povo deve trabalhar para beneficiar a todos, sem favorecer um grupo específico em detrimento dos demais.

Para Petrônio, é importante que a Casa da Cidadania seja um espaço democrático e justo, onde todos tenham as mesmas oportunidades e sejam tratados com respeito e dignidade. Ele se comprometeu a trabalhar para que isso aconteça e a lutar pelos interesses de todos os cidadãos de Feira de Santana.

Petrônio destacou que é importante criticar tanto o governo municipal quanto o governo estadual por suas falhas na gestão da educação em Feira de Santana. Ele acredita que é preciso trabalhar em conjunto para solucionar os problemas na rede de ensino e garantir uma educação de qualidade para as crianças e jovens da cidade.

Noticias Recentes

VACINAÇÃO

Bahia registra avanço na cobertura vacinal do calendário infantil em 2023 Os destaques são para

Ler mais »