Revista Alternativa

Ultrapassando a marca de 430 mil espectadores, “Nosso Sonho” se torna a maior bilheteria do ano e vence Prêmio Jovem Brasileiro

Cinebiografia de Claudinho e Buchecha é protagonizada pelos atores Lucas Penteado e Juan Paiva

Nosso Sonho”, dirigido por Eduardo Albergaria e produzido por Leonardo Edde, se tornou a maior bilheteria de filme nacional de 2023. Chegando na sexta semana de exibição, alcança a marca dos 430 mil espectadores. A produção recebeu nesta terça, em 24 de outubro, o Prêmio Jovem Brasileiro 2023 na categoria Entretenimento & Filme Nacional. Distribuído pela Manequim Filmes, o longa é a cinebiografia da maior dupla de funk melody do Brasil, Claudinho e Buchecha, e resgata a história por trás da fama, as dificuldades enfrentadas no caminho para o sucesso, os desafios e dramas pessoais. Os protagonistas Lucas Penteado e Juan Paiva dão vida a Claudinho e Buchecha. Assista ao trailer oficial aqui e acesse as imagens aqui.

O Prêmio Jovem Brasileiro (PJB) aconteceu em São Paulo, com apresentação de Carla Diaz e Guto Melo, e contou com um júri formado por jornalistas, colunistas e formadores de opinião. O ator Lucas Penteado recebeu a estatueta em nome da produção.

“Batalhamos muito para que “Nosso Sonho” fosse este sucesso nas telonas. A parceria com a produção do filme se deu desde o desenvolvimento do projeto. A luta em conjunto seguiu até a exibição para conseguirmos um circuito grande e levar este filme incrível a mais de 430 mil pessoas em todo o Brasil. É uma honra ver o filme se tornar o maior sucesso brasileiro do ano e ser reconhecido em um prêmio como este, que celebra a juventude em suas muitas vertentes. Este é só mais um sinal de como o cinema nacional é extremamente valioso e público e qualidade artística podem andar lado a lado.”, conta Felipe Lopes, sócio-diretor da Manequim Filmes.

“Como diretor, é muito gratificante ver que o público é sensível sobretudo à qualidade cinematográfica do que encontra nas telas. “Nosso Sonho” deixa um legado de incontáveis reações emocionadas, da forte aceitação por setores historicamente subrepresentados pelo cinema nacional, da resposta extremamente positiva a um tratamento mais lírico e dramático do que sociológico da cultura periférica brasileira. Eu acho que estávamos devendo esse filme ao Brasil: os números refletem a emoção que o filme tem gerado nas salas de cinema de todo o Brasil”, diz o diretor Eduardo Albergaria.

Ele ainda acrescenta: “Uma emoção que resulta de escolhas feitas dentro do Núcleo Criativo da Urca Filmes: eu, Fernando Velasco, roteirista do filme, quem concebeu o projeto, Mauricio Lissovsky, mestre, sem o qual nada teria sido possível, Daniel Dias, roteirista rigoroso, afiado, Leonardo Edde, meu sócio e produtor corajoso que, desde o primeiro minuto acreditou no filme proposto. Juntos, chegamos à expressiva marca de 430 mil espectadores e, tenho certeza, iremos ainda mais longe, pois o público brasileiro já deu o seu recado. Ele quer se reconhecer, rir, cantar e, principalmente, se emocionar com o cinema brasileiro. Para mim, é uma imensa honra ser o diretor de “Nosso Sonho”, completa.

No elenco, se destacam Tatiana Tiburcio e Nando Cunha, que interpretam Dona Etelma e Souza, os pais do Buchecha; Lellê e Clara Moneke são Rosana e Vanessa, as namoradas dos músicos. Vinicius Boca de 09 e Gustavo Coelho interpretam Claudinho e Buchecha na infância, respectivamente. “Nosso Sonho” conta, ainda, com participações especiais de Antonio Pitanga, como Seu Américo, Isabela Garcia, como Dona Judite, Negão da BL como DJ do baile, e FP do Trem Bala e Gabriel do Borel, como a dupla Cidinha e Doca e Flávia Souza e Reinaldo Júnior.

Nosso Sonho” é uma produção Urca Filmes, em coprodução com a Riofilme, Telecine e Warner Bros Distributing e apoio da Globo Filmes. Com investimentos do Fundo Setorial do Audiovisual e BBDTVM. A distribuição nos cinemas é realizada pela Manequim Filmes.

Sobre a produtora URCA FILMES:
 

Baseada na Urca, Rio de Janeiro, a Urca Filmes é uma produtora cinematográfica dedicada a explorar o poder da narrativa no cinema. Com uma equipe apaixonada e talentosa, buscamos contar histórias que emocionem, inspirem e provoquem reflexão. Nossa produtora está comprometida em criar conteúdos relevantes que deixem uma marca duradoura na indústria do entretenimento. Trazendo diversidade para as nossas produções, ampliamos percepções de mundo, vivências e repertórios, e assim cumprimos com o propósito de contar histórias inovadoras, que representam a pluralidade do Brasil. Acreditamos que o cinema tem o poder de mudar o mundo, e estamos empenhados em usar a sétima arte para promover através de imagens emancipatórias a conscientização, a empatia e a transformação social. Junte-se a nós nessa jornada cinematográfica e descubra o poder de uma história bem contada. Bem-vindo ao mundo da Urca Filmes.
 

Nesse mundo, “O Engenho de Zé Lins”, “Diário de Sintra”, “Depois Rola o Mocotó”, “Pachamama”, “Desafinados”, “O Filme da Minha Vida” e “Amazônia Groove”. A caminho das salas de cinema, “Nosso Sonho — a história de Claudinho e Buchecha”, a animação “Authentic Games no Mundo Desconectado”, e o documentário “PRK-30 – de onde surgiu a comédia popular brasileira”. A série de ficção “Alucinação”, sobre a vida extraordinária de Belchior, um dos mais importantes compositores da música brasileira, chega para o público em 2024.

Sobre a distribuidora MANEQUIM FILMES:
 

A Manequim é o novo selo da Vitrine Filmes para a distribuição de filmes comerciais com um perfil de público mais amplo. O line-up conta com os lançamentos de “Nosso Sonho”, cinebiografia de Claudinho e Buchecha; “O Meu Sangue Ferve por Você”, cinebiografia de Sidney Magal; “Princesa Adormecida”, baseado na obra de Paula Pimenta; e muito mais.
 

A Vitrine Filmes, em dez anos de atuação, já distribuiu mais de 200 filmes. Entre seus maiores sucessos estão ‘O Som ao Redor’, ‘Aquarius’; e ‘Bacurau’ de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Outros destaques são ‘A Vida Invisível’, de Karim Aïnouz, representante brasileiro do Oscar 2020, ‘Hoje Eu Quero Voltar Sozinho’, de Daniel Ribeiro, e ‘O Filme da Minha Vida’, de Selton Mello. Entre os documentários, a distribuidora lançou ‘Divinas Divas’, dirigido por Leandra Leal e ‘O Processo’, de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional.
 

Além do cinema nacional, a Vitrine Filmes vem expandindo o seu catálogo internacional ao longo dos anos, tendo sido responsável pelo lançamento dos sucessos “O Farol”, de Robert Eggers, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia; “Você Não Estava Aqui”, dirigido por Ken Loach, e premiado com o Oscar de Melhor Filme Internacional 2021: ‘DRUK – Mais uma rodada’, de Thomas Vinterberg.

Sobre o TELECINE:

Com 30 anos de programação dedicada ao cinema, o Telecine possui o maior catálogo de filmes do país, construído a partir de curadoria altamente especializada. O acervo contempla a pluralidade da indústria e reúne clássicos de grandes estúdios, do mercado independente e nacional; além de franquias de sucesso e lançamentos exclusivos. Ao longo dos anos, o Telecine ampliou a sua capilaridade de distribuição, permitindo que o assinante consuma em um só local o catálogo completo de filmes e acompanhe, em simulcasting, os seis canais lineares: Premium, Touch, Action, Pipoca, Cult e Fun. É assim que a marca especialista em cinema promove experiências para o público ter o ‘Seu Momento Cinema’ como, quando e onde quiser. 

Sobre a GLOBO FILMES:

Construir parcerias que viabilizam e impulsionam o audiovisual nacional para entreter, encantar e inspirar com grandes histórias brasileiras – do cinema à casa de cada um de nós. É assim que a Globo Filmes atua desde 1998. Com mais de 450 filmes no portfólio, como produtora e coprodutora, o foco é na qualidade artística e na diversidade de conteúdo, levando ao público o que há de melhor no nosso cinema: comédias, romances, infantis, dramas, aventuras e documentários. A filmografia vai de recordistas de bilheteria, como ‘Tropa de Elite 2’ e ‘Minha Mãe é uma Peça 3’ – ambos com mais de 11 milhões de espectadores – a sucessos de crítica e público como ‘2 Filhos de Francisco’, ‘Aquarius’, ‘Que Horas Ela Volta?’, ‘O Palhaço’ e ‘Carandiru’, passando por longas premiados no Brasil e no exterior, como ‘Cidade de Deus’ – com quatro indicações ao Oscar – e ‘Bacurau’, que recebeu o prêmio do Júri no Festival de Cannes. Títulos mais recentes como ‘Marighella’, ‘Turma da Mônica: Lições’ e ‘Medida Provisória’ fizeram o público voltar às salas pós-pandemia para prestigiar um cinema que fala a nossa língua.

Noticias Recentes

VACINAÇÃO

Bahia registra avanço na cobertura vacinal do calendário infantil em 2023 Os destaques são para

Ler mais »