REVISTA ALTERNATIVA
A FAMÍLIA DE SOBRENOME SUCESSO!
 
TWITER - FACEBOOK - EMAIL - FANPAGE
 
 
Na Bahia - Diferença salarial entre homens e mulheres no nível superior aumenta pelo segundo ano seguido
 
 

 

Levantamento do Quero Bolsa apontou crescimento da desigualdade de 9,3% nos dois anos

 
A diferença salarial nas contratações entre homens e mulheres passou de R﹩ 890,75 em 2018, para R﹩ 905,58, em 2019, no estado da Bahia, representando uma alta de 1,7%. Foi o segundo ano seguido em que a desigualdade aumentou já que, entre 2017 e 2018, a discrepância cresceu 7,5%. No período de dois anos, a alta foi de 9,3%.
 
O levantamento foi feito pelo Quero Bolsa , plataforma de vagas e bolsa de estudo no ensino superior, com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em virtude do Dia Internacional da Mulher, celebrado no dia 8 de março.
 
O salário médio das profissionais femininas com ensino superior foi de R﹩ 2.196,86. Isso corresponde a apenas 70,8% do salário dos homens na mesma situação, que foi de R﹩ 3.102,44. É a menor proporção desde 2016.
 

 
Apesar das carreiras de ensino superior apresentarem uma remuneração 98,8% maior em relação às profissões sem graduação, a desigualdade se agrava nos níveis mais altos de ensino. Em contratações sem diploma, o salário das mulheres foi de R﹩ 1.105,30 correspondendo a 81,6% dos homens. Entretanto, mesmo com salários menores, mulheres com diploma de nível superior são contratadas em maior número. Foram 31.034 vagas preenchidas por profissionais do sexo feminino contra 19.610 por profissionais masculinos.
 
Na Bahia, mulheres receberam salários menores em 8 das 10 carreiras de ensino superior com maior saldo de contratações
 
Entre as 10 carreiras de ensino superior com maior geração de postos de trabalho, mulheres recebem salário menor em cinco delas e salário maior nas outras cinco. Entretanto, a diferença maior está nas carreiras que as mulheres recebem menos. A maior desigualdade identificada foi para cargo de Engenheiro Mecânico, com o salário feminino correspondendo a 89,8% do masculino. Confira a proporção do salário feminino em relação ao masculino:
 
• Engenheiro Mecânico - 89,76%
 
• Avaliador Físico - 92,07%
 
• Cirurgião Dentista - 92,25%
 
• Fisioterapeuta Geral - 97,47%
 
• Advogado - 98,67%
 
• Farmacêutico - 100,62%
 
• Enfermeiro - 101,18%
 
• Nutricionista - 103,31%
 
• Psicólogo Clínico - 105,04%
 
• Assistente Social - 105,64%
 

 
Mulheres são maioria no ensino superior
 
Apesar de receberem um salário proporcionalmente menor, na Bahia, as mulheres são maioria no ensino superior, com 268.275 matriculadas (60,8%) contra 172.920 homens. Elas também são maioria na pesquisa científica, com 63,3% do total dos estudantes com iniciação científica. As informações sobre graduação foram levantados pelo Quero Bolsa, utilizando os dados do Censo da Educação Superior de 2018 do INEP, edição mais recente.
 
Sobre o Quero Bolsa
 
O Quero Bolsa (http://querobolsa.com.br) conecta alunos a instituições de ensino e oferece vagas e bolsas de estudo em cursos de Ensino Superior, Ensino Básico, Idiomas e Intercâmbio. Em um cenário em que apenas 15,7% dos adultos brasileiros concluíram a graduação, segundo dados do IBGE, ele cresce a passos largos e já gerou uma economia de mais de R﹩ 1,3 bilhão para alunos do país inteiro. Atualmente a plataforma conta com mais de 6 mil escolas parceiras, 1.600 instituições de ensino superior, 2.500 de ensino básico, além de mais de 10 mil opções de cursos de idiomas e 50 mil de intercâmbio.
Levantamento do Quero Bolsa apontou crescimento da desigualdade de 9,3% nos dois anos
 
A diferença salarial nas contratações entre homens e mulheres passou de R﹩ 890,75 em 2018, para R﹩ 905,58, em 2019, no estado da Bahia, representando uma alta de 1,7%. Foi o segundo ano seguido em que a desigualdade aumentou já que, entre 2017 e 2018, a discrepância cresceu 7,5%. No período de dois anos, a alta foi de 9,3%.
 
O levantamento foi feito pelo Quero Bolsa , plataforma de vagas e bolsa de estudo no ensino superior, com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em virtude do Dia Internacional da Mulher, celebrado no dia 8 de março.
 
O salário médio das profissionais femininas com ensino superior foi de R﹩ 2.196,86. Isso corresponde a apenas 70,8% do salário dos homens na mesma situação, que foi de R﹩ 3.102,44. É a menor proporção desde 2016.
 

 
Apesar das carreiras de ensino superior apresentarem uma remuneração 98,8% maior em relação às profissões sem graduação, a desigualdade se agrava nos níveis mais altos de ensino. Em contratações sem diploma, o salário das mulheres foi de R﹩ 1.105,30 correspondendo a 81,6% dos homens. Entretanto, mesmo com salários menores, mulheres com diploma de nível superior são contratadas em maior número. Foram 31.034 vagas preenchidas por profissionais do sexo feminino contra 19.610 por profissionais masculinos.
 
Na Bahia, mulheres receberam salários menores em 8 das 10 carreiras de ensino superior com maior saldo de contratações
 
Entre as 10 carreiras de ensino superior com maior geração de postos de trabalho, mulheres recebem salário menor em cinco delas e salário maior nas outras cinco. Entretanto, a diferença maior está nas carreiras que as mulheres recebem menos. A maior desigualdade identificada foi para cargo de Engenheiro Mecânico, com o salário feminino correspondendo a 89,8% do masculino. Confira a proporção do salário feminino em relação ao masculino:
 
• Engenheiro Mecânico - 89,76%
 
• Avaliador Físico - 92,07%
 
• Cirurgião Dentista - 92,25%
 
• Fisioterapeuta Geral - 97,47%
 
• Advogado - 98,67%
 
• Farmacêutico - 100,62%
 
• Enfermeiro - 101,18%
 
• Nutricionista - 103,31%
 
• Psicólogo Clínico - 105,04%
 
• Assistente Social - 105,64%
 

 
Mulheres são maioria no ensino superior
 
Apesar de receberem um salário proporcionalmente menor, na Bahia, as mulheres são maioria no ensino superior, com 268.275 matriculadas (60,8%) contra 172.920 homens. Elas também são maioria na pesquisa científica, com 63,3% do total dos estudantes com iniciação científica. As informações sobre graduação foram levantados pelo Quero Bolsa, utilizando os dados do Censo da Educação Superior de 2018 do INEP, edição mais recente.
 
Sobre o Quero Bolsa
 
O Quero Bolsa (http://querobolsa.com.br) conecta alunos a instituições de ensino e oferece vagas e bolsas de estudo em cursos de Ensino Superior, Ensino Básico, Idiomas e Intercâmbio. Em um cenário em que apenas 15,7% dos adultos brasileiros concluíram a graduação, segundo dados do IBGE, ele cresce a passos largos e já gerou uma economia de mais de R﹩ 1,3 bilhão para alunos do país inteiro. Atualmente a plataforma conta com mais de 6 mil escolas parceiras, 1.600 instituições de ensino superior, 2.500 de ensino básico, além de mais de 10 mil opções de cursos de idiomas e 50 mil de intercâmbio.
 
PODCAST
 
     
     
TWITTER : twitter.com/RAlternativa    
FANPAGES : facebook.com/revistaalternativa.bahiabrasil facebook.com/trofeuoscarfolia  
E-MAILS : gguirra90@gmail.com    
ZAP : (75) 99155 9399    
     
Jesus com a Gente!